O que é SCM

O que é SCM (Supply Chain Management)

 

Segundo Figueiredo e Arkader (1998), o conceito de SCM Supply Chain Management ou Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos surgiu como uma evolução natural do conceito de Logística Integrada. Enquanto a Logística Integrada representa uma integração interna de atividades de suprimento, o Supply Chain Management representa um sistema que visa a sua integração externa, pois estende a coordenação dos fluxos de materiais e de informações dos fornecedores ao cliente final, para tanto a presença de recursos de softwares torna-se indispensável.

Aqueles autores afirmam que a gestão da cadeia de suprimentos pode proporcionar várias maneiras de se obter o aumento da produtividade, além da redução de custos, assim como identificar formas de agregar valor aos produtos. Dentre as formas de agregar valor aos produtos, primeiramente estaria a redução de estoques, a racionalização de transportes e eliminação de desperdícios. O valor agregado seria criado mediante prazos confiáveis, atendimento em casos de emergências, facilidade de colocação de pedidos, serviço pósvenda entre outros.

Consultoria ERP

Seja qual for a necessidade, sempre oferecemos uma solução.

Consultores experiente em SAP e Totvs Protheus. Atendimento para suporte, implantação, e melhorias em seu sistema ERP. Possuimos atendimentos presencial e Remoto. Entre em contato e solicite uma cotação .

Saiba Mais

Fluxo SCM

O fluxo de materiais ocorre quando há uma “configuração do produto”, conforme os requisitos do consumidor, ou seja, saem dos sub-fornecedores os componentes, embalagens, etc. e agregam valor conforme vão passando pelos participantes dos canais de distribuição até chegar ao consumidor final.

O fluxo financeiro começa com a aquisição de componentes, pelo fornecedor, para fabricação do produto e vai até a aquisição do produto pelo consumidor, passando pelos canais de distribuição necessários

O SCM pode oferecer grandes perspectivas de ganhos para quem o utiliza, à medida que exista um aumento de escala nos volumes transacionados entre os participantes e que haja transferências de tecnologias para as empresas menos desenvolvidas, possibilitando custos operacionais menores e melhorias na qualidade dos produtos fabricados (SAVOI 1998 apud PEREIRA e HAMACHER 2000)

 

Estrutura modelo de SCM

 

O modelo SCM é uma adaptação do proposto por Pereira e Hamacher (2000), que foi idealizado para aumentar os ganhos da Cadeia de Suprimentos, sendo dividido em dois grandes blocos de sistemas conforme as características de seus elementos.

O primeiro bloco SCM é chamado de externalizador, pois os ganhos deste são mais visíveis e fáceis de serem quantificados. Este bloco agrupa elementos dos níveis tático e operacional, bem como de algumas atribuições da logística (gerenciamento dos estoques e distribuição). No seu interior há os módulos de estoque e distribuição. O primeiro módulo tem o objetivo de analisar o impacto do SCM nos estoques da Cadeia, buscando a eliminação de duplicidade e diminuição do nível de estoque de segurança da empresa. O segundo módulo visa encontrar os meios de transportes mais eficientes para os produtos comercializados.

O outro bloco  SCM agrupa elementos do nível estratégico, sendo composto por módulos referentes aos relacionamentos comerciais, à integração da cadeia, ao controle de desempenho. Este bloco foi denominado de Bloco Pontecializador, pois seus elementos possuem maior potencial para ampliar os ganhos do SCM.

Dentro do segundo bloco mantêm-se os módulos de integração e desempenho. O primeiro módulo tem como objetivo enquadrar o grau de integração entre as empresas, conforme as limitações existentes, como: o tipo de relacionamento e o porte da empresa. Já o módulo de desempenho, tem como objetivo fornecer informações sobre o desempenho das empresas para os planejamentos (estratégico e tático/operacional).

Segundo Sucupira et al. (2003), além da necessidade de se acompanhar todos os fluxos físicos entre os elementos da cadeia de suprimentos existe a necessidade de gerenciar outras informações que devem ser compartilhadas, tais como: demandas previstas e reais, negociações e ordens de fornecimento, ordens de coleta de transportadoras, documentos fiscais e suas respectivas conferências, etc.

Os Sistemas do tipo SCM, vão além dos convencionais sistemas de controle de estoque ou de gestão de materiais, pois pretendem integrar todos os agentes de uma cadeia de suprimentos, ampliando o poder de controle da organização (LAUDON & LAUDON, 2004). A seguir serão discutidas as características de uma categoria de Sistema Integrado que é voltado para atrair e reter clientes: O CRM.

Veja Também
Message Us on WhatsApp