FI-AA Ativo Imobilizado | Saiba tudo sobre o SAP FI AA

SAP FI-AA

SAP FI-AA – Ativo Imobilizado

As funções SAP FI-AA dos imobilizados tangíveis permitem ilustrar e documentar o desenvolvimento do imobilizado para fins contábeis.

A contabilidade do imobilizado FI-AA é um livro auxiliar do Razão e é utilizado para administrar e documentar detalhadamente os movimentos do imobilizado. Na contabilidade geral, é possível atualizar a depreciação e modificações nos valores do balanço patrimonial na contabilidade do imobilizado FI-AA. Além disso, é possível efetuar várias classificações contábeis para a contabilidade de custos dessas operações.

Por conseqüência da integração no SAP ERP, a contabilidade do imobilizado (FI-AA) transfere os dados diretamente para outros componentes do SAP ECC. Por exemplo, é possível lançar diretamente do componente Administração de materiais (MM) para o FI-AA. Ao comprar um ativo ou produzir um ativo próprio, você pode lançar diretamente a entrada de faturas ou a entrada de mercadorias, ou a retirada do depósito para imobilizado, no componente Contabilidade do imobilizado. Ao mesmo tempo, você pode transferir a depreciação e os juros diretamente para os componentes Contabilidade financeira (FI) e Contabilidade de custos (CO). A partir do componente Manutenção (PM), é possível liquidar atividades de manutenção que necessitem de incorporação ao imobilizado (Sincronização AA-PM).

Fluxo do Processo FI AA

O cenário Administrar imobilizado FI-AAfornece a administração e o monitoramento detalhados de imobilizados da perspectiva de um ciclo de vida de imobilizados individuais. Este cenário abrange a vida inteira de um imobilizado a partir do pedido ou da aquisição inicial (que pode ser administrada como um imobilizado em andamento) até a baixa do imobilizado. Entre esses dois eventos, o sistema processa todas as transações contábeis relativas ao imobilizado FI-AA e assegura a integração com o Razão.

Dados Mestres

Uma variedade de dados mestre e organizacionais indispensáveis foi criada no sistema ERP na fase de implementação, assim como os dados que refletem a estrutura organizacional da sua empresa e os dados mestre que correspondem ao seu foco operacional, como dados mestre de materiais, fornecedores e clientes, e assim por diante.

Geralmente, esses dados mestres consistem em valores propostos padronizados do SAP Best Practices e permitem que você percorra as etapas do processo deste cenário.

Um imobilizado FI-AA é um objeto, um direito ou outro item de uma empresa que está previsto para utilização a longo prazo e que pode ser identificado individualmente no balanço. Atualizar imobilizados FI-AA envolve a criação, modificação e exibição de registros mestre do imobilizado.

Os diferentes itens de informação estão estruturados de acordo com a área de utilização e as funções no sistema para tornar mais fácil para os usuários a criação, atualização e a avaliação dos dados mestre. Cada registro mestre do imobilizado consiste em duas partes que estão descritas abaixo.

Dados mestre gerais/atribuições organizacionais

Esta parte do registro mestre contém informações gerais sobre o imobilizado FI-AA. Existem os seguintes grupos de campos:

Informações gerais (descrição, quantidade etc.)

Atribuição de contas

Informações de lançamento (por exemplo, data de incorporação)

Atribuições dependentes do tempo (por exemplo, centro de custo)

Informações para manutenção

Entradas para imposto sobre o patrimônio

Informações sobre imóveis

Informações sobre as origens do imobilizado

Dados do inventário físico

Campos do usuário/critérios de classificação

Dados de seguro

Parâmetros de avaliação

Na seção de avaliação de um registro mestre do imobilizado, define-se como um imobilizado é avaliado para cada área de avaliação. No nosso exemplo, os parâmetros de depreciação principais são a data de início para a depreciação normal, determinada pela chave de depreciação, e a data de referência do lançamento de entrada, a chave de depreciação e a vida útil.

A areas de depreciação do plano de depreciação 1000 são:

01 – Depreciação Contabil (Moeda local)

03 – CIAP (Moeda local)

40 – Depreciação Moeda Forte (Moeda Forte)

Consultoria SAP

Seja qual for a necessidade, sempre oferecemos uma solução.

Consultores experiente em SAP. Atendimento para suporte, implantação, e melhorias em seu sistema SAP. Possuimos atendimentos presencial e Remoto. Entre em contato e solicite uma cotação .

Saiba Mais

Asset Explorer

O Asset Explorer permite analisar as modificações no valor de registros mestre do imobilizado individual. Ele apresenta o balanço planejado e lançado e os valores de depreciação de um imobilizado em diferentes formas e níveis de compactação.

O Asset Explorer possui a seguinte disposição:

  • Uma parte do cabeçalho onde são introduzidos a empresa e o imobilizado necessário
  • Uma síntese em árvore para navegar entre diferentes áreas de avaliação
  • Uma síntese em árvore que apresenta os objetos que estão relacionados com o imobilizado
  • Uma ficha para analisar valores planejados, valores lançados e diferentes parâmetros, bem como para comparar os exercícios fiscais e áreas de avaliação.
 

Aquisições de Imobilizados

Aquisição Com Fornecedor

Uma aquisição externa do imobilizado é uma transação contábil que resulta da aquisição de um imobilizado de um parceiro de negócios (ao contrário de uma aquisição interna). Pode-se lançar a aquisição de um imobilizado externo de várias maneiras:

  • Na Contabilidade do imobilizado (FI-AA) integrado com a Contabilidade de fornecedores (FI-AP)
  • Na Contabilidade do imobilizado sem integração com a Contabilidade de fornecedores (lançamento em conta de compensação – com ou sem compensação). Existem dois cenários:
  1. A aquisição do imobilizado realiza-se antes da entrada de faturas. O lançamento de contrapartida é efetuado automaticamente.

A aquisição do imobilizado é lançada depois da entrada de faturas. A fatura foi lançada como uma partida em aberto numa conta de compensação

 

Baixa Com Receita

Baixa do imobilizado é a remoção de um imobilizado ou de parte deste, a partir do ativo imobilizado. Essa remoção de um bem econômico (ou parte deste) é lançada, do ponto de vista contábil, como uma baixa do imobilizado. Na Contabilidade do imobilizado, é possível lançar a venda de um imobilizado e a receita resultante em uma única etapa. Simultaneamente, você pode decidir se pretende integrar o lançamento com a contabilidade de clientes ou lançar na conta de compensação.

Em função das notas organizacionais ou da transação contábil que levam à baixa, pode fazer-se distinção entre os seguintes tipos de baixa:

  • Um imobilizado é vendido, dando origem a uma receita. A venda é lançada com um cliente.
  • Um imobilizado é vendido, dando origem a uma receita. A venda é lançada em relação a uma conta de compensação.
  • Um imobilizado foi sucateado e não obteve receita.

Uma baixa pode fazer referência a um imobilizado completo (baixa total) ou a uma parte do imobilizado (baixa parcial). Em ambos os casos, o sistema utiliza as datas de baixa introduzidas para determinar automaticamente o montante ao qual deve ser dada baixa para cada área de avaliação. Você pode iniciar uma baixa parcial de um imobilizado usando  uma das seguintes opções:

  • o montante dos custos de aquisição e de produção ao qual é dada baixa
  • um percentual
  • uma quantidade
 

Trasnferência

Existem basicamente três motivos pelos quais pode ser necessário realizar uma transferência na empresa. O primeiro consiste no fato de as modificações serem ou não efetuadas nas estruturas organizacionais (reclassificação das classes do imobilizado, modificações nos centros de lucros, etc.). O segundo consiste no fato de uma transferência poder ser necessária caso as atribuições de contas estejam incorretas (por exemplo, classe do imobilizado incorreta). E o último motivo se dá ao fato de um imobilizado administrado e em andamento estar pronto para liquidação sumária.

As transferências de um imobilizado para outro dentro da mesma empresa podem ser executadas em uma única etapa. As transferências automáticas serão possíveis apenas se não se perderem valores do imobilizado de origem e se cada área do imobilizado adquirido estiver preenchido com valores.

 

Liquidar Imobilizado em Andamento

Os imobilizados em andamento (IeA) são uma forma especial de bem material. Eles são exibidos, normalmente, como um item de balanço separado e, por isso, necessitam da determinação de conta e das classes de imobilizados separadas. Durante a fase na qual um imobilizado está em andamento, todos os lançamentos reais são atribuídos ao IeA. Assim que o imobilizado estiver concluído, será efetuada uma transferência para o registro mestre que deve ser criado nos imobilizados definitivos.

Os imobilizados em andamento podem ser administrados para liquidação sumária ou por partidas individuais. No caso de uma administração sumaria, todas as despesas ocorridas são transferidas uma ou várias vezes para o(s) imobilizado(s) no momento de sua conclusão. Quando os imobilizados em andamento são administrados por partidas individuais, é possível introduzir regras de liquidação para cada partida individual atribuída ao IeA.

 

Solicitar adiantamento para imobilizados em andamento

Depois de executar a liquidação, é efetuada uma transferência entre o imobilizado em andamento e o imobilizado no imobilizado concluído.

É possível exibir o documento desta transferência por meio do Asset Explorer (transação AW01N). Esta transação pode ser acessada a partir do imobilizado em andamento e do imobilizado concluído.

Os adiantamentos para imobilizados em andamento são aquisições do imobilizado que têm de ser incorporadas e registradas como um item separado no balanço. Por essa razão, os lançamentos de adiantamentos utilizam tipos de movimento especiais e individuais e são lançados em contas separadas no sistema.

Os tipos de movimento para adiantamentos devem ser permitidos no customizing para as classes do imobilizado em andamento (IeA). Crie, primeiro, um registro mestre para um IeA na classe 4000.

As seguintes transações devem ser lançadas junto com o adiantamento:

  • Criação de uma solicitação de adiantamento para bens materiais (apenas contabilidade de fornecedores)
  • Lançamento do adiantamento para bens materiais
  • Lançamento da fatura de conclusão correspondente dos bens materiais
  • Compensação do adiantamento com a fatura de conclusão.

Essas transações podem ser executadas com a integração junto a contabilidade de fornecedores. Como alternativa, pode-se visualizar separadamente o adiantamento, a fatura de conclusão e a liquidação na contabilidade do imobilizado, ou seja, sem a integração com a contabilidade de fornecedores. O exemplo a seguir se baseia no procedimento integrado.

 

Compensar Adiantamento

Você pode compensar um adiantamento manualmente ou fazer com que seja compensado pelo programa de pagamento. A compensação manual pode ser efetuada a qualquer hora: Não são necessárias medidas especiais.

Quando você entra uma fatura, o sistema emite uma mensagem de advertência avisando de que há um adiantamento pendente. O sistema indica, assim, que existe um compromisso de adiantamento. Você pode, então, decidir imediatamente por compensar ou não o adiantamento. Essa mensagem, contudo, depende da configuração de seu sistema. É possível especificar se os adiantamentos devem ou não ser indicados. Essa especificação pode ser feita para cada código do Razão especial. Essa opção está disponível para todos os tipos de adiantamento no sistema standard. Mais informações a esse respeito encontram-se em  Contas do Razão – Propriedades de transação.

Se quiser que o programa de pagamento compense adiantamentos, você terá que especificar os códigos do Razão especial ao definir as especificações de sua empresa no programa. Assim, o sistema definirá, automaticamente, um bloqueio de pagamento quando um adiantamento for introduzido. Esse código de bloqueio impede que os adiantamentos sejam compensados imediatamente. Quando você cancelar o código de bloqueio, com a função de modificação de documento, o adiantamento será liberado para compensação. Pode-se, ainda, entrar uma data de vencimento para o adiantamento. Dessa forma, especifica-se a data em que o programa de pagamento pode compensar o adiantamento.

 

Liquidar imobilizados em andamento

Para liquidar imobilizados em andamento, você pode seguir o procedimento standard descrito na sessão acima, Baixa contábil de imobilizados em andamento.

Sob certas condições, pode ser necessário incorporar um imobilizado em andamento antes da apresentação das faturas de conclusão por parte dos fornecedores. Isso pode causar algumas dificuldades, especialmente se a fatura de conclusão não puder ser lançada até o exercício seguinte à incorporação do imobilizado em andamento e já tiverem sido lançados adiantamentos para este último.

Para começar, você lança o adiantamento normalmente. Em seguida, se for necessário incorporar o imobilizado em andamento no fim do exercício, mas antes do recebimento da fatura de conclusão, lance reservas para o montante total da fatura prevista. Essas reservas são lançadas diretamente no imobilizado ativo (aquisição externa com fornecedor, tipo de movimento 100). Caso planeje distribuir os valores do imobilizado em andamento em vários imobilizados concluídos, é aconselhável lançar a reserva para o ativo em andamento e, em seguida, incorporá-lo. Seja qual for o método utilizado, é necessário estornar o adiantamento no imobilizado em andamento, uma vez que não se permite que o adiantamento apareça na conta de adiantamentos para imobilizados. Por outro lado, ele deve aparecer na conta de imobilizados concluídos.

Se quiser liquidar o imobilizado em andamento, você terá que compensar os adiantamentos com a fatura ou com a fatura prevista (reserva). Apenas após essa compensação, o imobilizado em andamento poderá ser liquidado.

 

Executar lançamento de Depreciação

Um lançamento no imobilizado FI-AA dá origem, inicialmente, a uma depreciação planejada a modificar na contabilidade do imobilizado FI-AA. Porém, as contas de depreciação acumulada e as contas de depreciação para o balanço e demonstração de resultados não são atualizadas de imediato. O total da depreciação planejada não é lançado na contabilidade financeira (apenas são criados documentos coletivos) até que a execução de lançamento de depreciação periódica seja executada.

O lançamento de depreciação deve ser executado periodicamente (anual, semestral, trimestral ou mensalmente). Quando efetuada como execução efetiva, o programa deve ser iniciado em background.

O sistema cria documentos de lançamento para cada área de avaliação e grupo de contas, de acordo com as periodicidades de lançamento indicadas no customizing. Como data de lançamento, o sistema utiliza

  • O último dia do período, para períodos normais (nenhum período extraordinário)
  • O último dia do exercício fiscal, para períodos extraordinários

O tipo de documento AF foi definido no customizing FI-AA para o lançamento da depreciação. Na definição de tipo de documento no customizing, o intervalo de numeração 03 foi especificado com uma atribuição de números interna.

As configurações do customizing também indicam que a depreciação na área de avaliação 01 (depreciação contábil), está lançada no Razão.

Você pode definir a periodicidade de lançamento de depreciação indicando a duração dos períodos contábeis entre duas execuções de lançamento. O sistema está definido de forma que a depreciação seja lançada mensalmente.

Não é estritamente necessário manter essa periodicidade de lançamento. Você também pode selecionar uma execução de lançamento de depreciação extraordinária, usando um código na 1ª tela da execução de lançamento de depreciação. Se definir esse código, você poderá ignorar vários períodos e lançar a depreciação total para todos os períodos ignorados em um único período. O sistema tem suporte a dois procedimentos diferentes para distribuir a depreciação prevista nos períodos contábeis. A diferença entre os dois procedimentos torna-se evidente quando se processam aquisições no exercício fiscal ou incorporações posteriores.

Com o processo de reintegração, a depreciação que deve ser efetuada na transação dentro do exercício fiscal (a partir da data de início de depreciação, de acordo com o controle de períodos, até o período atual) é lançada em um único total. O programa de lançamento de depreciação lança esse montante no período em que recai a data de lançamento da aquisição.

Com o método de uniformização, o montante de depreciação anual determinado é distribuído de forma igualitária nos períodos, do período de lançamento atual até o final do exercício.

O processo de recuperação está configurado no sistema para todas as áreas de avaliação.

Para cada área de avaliação, deve-se indicar se a depreciação deve ser lançada nos centros de custo e/ou na ordem. Essa informação é capturada do registro mestre do imobilizado e transmitida para a contabilidade financeira como uma atribuição de contas adicional.

 

Recalcular Valores

Em determinadas circunstâncias, pode ser necessário recalcular a depreciação anual planejada para alguns imobilizados. Para tanto, você pode utilizar a função Recalculate Depreciation (programa RAAFAR00). Esse programa (que também pode ser iniciado como uma execução de teste) permite recalcular a depreciação planejada para um grande número de imobilizados. Você também pode executar o programa em background. Mais informações encontram-se na seção sobre a execução de lançamento de depreciação

 

Mudar Exercicio

Da perspectiva do sistema, uma mudança de exercício representa a criação de um novo exercício para uma empresa. Na mudança de exercício, os valores do imobilizado FI-AA do exercício anterior são transferidos de forma acumulada para o novo exercício. Uma vez efetuada a mudança de exercício, é possível lançar os imobilizados utilizando as datas efetivas no novo exercício. Simultaneamente, pode-se, contudo, continuar a lançar no exercício anterior, desde que este não esteja encerrado, devido ao encerramento do exercício.

A mudança de exercício pode ser executada (mesmo em modo de teste) apenas para o novo exercício. Uma mudança só pode ser realizada no último mês do exercício antigo Antes de mudar para o exercício fiscal AAAA, é necessário ter encerrado o exercício fiscal AAAA-2. Pode haver, no máximo, dois exercícios fiscais abertos para lançamento de cada vez.

Não podem ser lançadas transações contábeis em um novo exercício antes da mudança de exercício. Pode-se continuar lançando no exercício antigo, mesmo após a mudança de exercício. O sistema corrige automaticamente eventuais valores que já tenham sido transferidos e que sejam afetados pelos lançamentos efetuados no passado.

A mudança de exercício deve ser executada como um processamento em background para auxiliar no desempenho. É possível efetuar execuções de teste com menos de 1.000 imobilizados em primeiro plano.

 

Reconciliação de Contas

O programa seleciona os registros de ambiente do imobilizado FI-AA (ANLC), compacta os valores na conta do Razão e nos níveis da área empresarial e grava os valores totais na tabela EWUFIAASUM.

Em seguida, essa tabela é lida e os valores são reconciliados com as contas do Razão.

As seguintes contas são reconciliadas:

  •  Conta de balanço – Custo de Produção e Aquisição do Produto
  •  Conta de balanço –  Solicitação de pagamentos
  • Conta de Avaliação
  • Itens especiais da conta de balanço
  • Depreciação de ajustes de valor ordinário
  • Depreciação de ajustes de valor especial
  • Depreciação de ajustes de valor não planejado
  • Transferência de ajustes de valor de reservas
  • Reavaliação de ajustes de valor de depreciação ordinária

O relatório deve ser iniciado antes do encerramento do exercício.

Para poder iniciar a transação, os valores no balanço patrimonial devem estar completamente lançados.

Inicie o lançamento na contabilidade do imobilizado com Trabalhos periódicos.
Efetue uma execução de atualização mesmo que não haja documentos a lançar na execução de teste.

 

Encerramento de Exercício

Você pode utilizar o programa de encerramento do exercício para encerrar o exercício fiscal para uma ou várias empresas de uma perspectiva contábil. Após o encerramento do exercício, não será mais possível lançar ou modificar valores na contabilidade do imobilizado FI-AA (por exemplo, através do recálculo da depreciação). O exercício fiscal encerrado é sempre o ano que se segue ao último exercício encerrado. Não é possível encerrar o exercício atual.

O encerramento do exercício na contabilidade do imobilizado deve ser executado antes do encerramento do exercício na contabilidade geral.

A mudança de exercício tem de ser executada na contabilidade do imobilizado antes do encerramento do exercício (SAP FI-AA).

  • É necessário executar o encerramento do exercício como processamento em background, para auxiliar no desempenho. Portanto, inicie o programa em background (na tela de seleção do programa: Programa ® Executar em Background). Você pode efetuar execuções de teste com menos de 1.000 imobilizados em primeiro plano. O sistema encerrará um exercício fiscal em uma empresa apenas se o sistema não encontrar erros durante o cálculo da depreciação (como chaves de depreciação definidas incorretamente).
  • A depreciação planejada das áreas de avaliação a serem lançadas foram completamente lançadas no Razão.
  • Saldos de áreas de avaliação lançados periodicamente foram lançados completamente no Razão.
  • Todos os imobilizados adquiridos no exercício fiscal já foram incorporados.

Como esta verificação não faz sentido para imobilizados em andamento, você pode evitar sua execução para esses imobilizados por meio da classe do imobilizado.

  • Todos os imobilizado incompletos (registros mestre) foram concluídos.

O sistema listará todo imobilizado que não atender aos requisitos acima no log do encerramento do exercício. O log também mostra o motivo dos erros.

 

Conheça também as principais configurações do módulo SAP FI

Veja Também
Message Us on WhatsApp